Internet

O que é a Persona do Comprador e por que é importante em 2020?

em branco

Uma buyer persona é o perfil de comprador ideal que você cria para identificar gostos e preferências e, assim, ser capaz de definir uma estratégia de marketing.

Falar sempre será muito mais fácil do que fazer, e é uma tática muito básica de marketing que você precisa ser mais prático do que apenas dizer.

Certamente você já ouviu ou leu, muito que você precisa ter empatia com seu potencial cliente para comprar suas ideias e isso é verdade, e o problema é colocá-lo em prática.

Se você quiser saber mais sobre como analisar a personalidade do comprador, entre em contato SEO Dubai. Há um longo caminho entre o que foi dito e o que foi feito, e talvez não seja que você não tenha a capacidade de criar essa afinidade entre sua empresa e seus clientes potenciais.

Mas simplesmente que você não definiu quem deseja vender ou para quem projetou sua oferta.

“Meu produto é comprado por todos”

Você percebe? Nem todo mundo precisa do que você vende, e isso não é ruim, porque você não precisa convencer todo o universo de compradores para que seu negócio tenha sucesso.

Então, você tem que deixar de lado essa concepção de que seu produto pode ser vendido para todos e começar a definir.

Posteriormente você verá que até a localização geográfica da pessoa determina se ela faz parte do seu mercado-alvo, apesar de satisfazer o resto do perfil do seu Comprador pessoal.

Comprador O quê? O que é um comprador?

Uma pessoa Compradora nada mais é do que um perfil de comprador ideal que você cria para identificar os gostos e preferências de seus clientes potenciais e assim poder definir uma estratégia para fomentar a empatia da qual eu estava falando no início.

Você pode encontrar outras definições, mas para mim, é uma maneira muito simples de explicar. Basicamente, a buyer persona é um personagem imaginário que se parece muito com o mercado que você deseja convencer.

Por que definir uma pessoa comprador?

Já avancei a resposta a esta pergunta. Definir o seu cliente ideal o ajudará a criar estratégias para promover a empatia entre as partes.

Se você conhece as necessidades e desejos de seus clientes potenciais, é mais fácil planejar uma campanha de marketing com a qual eles se sintam identificados. Um especialista em SEO pode ajudá-lo melhor a identificar a persona do comprador e como obter benefícios com ela.

Na verdade, é muito útil, para não dizer indispensável, em campanhas de marketing digital, pois ajuda você a segmentar para quem você exibe publicidade - se o faz - e a projetar seu site e perfis sociais de forma que estejam em conformidade com o mercado expectativas.

Como você verá, a persona do Comprador é usada para tudo que tem a ver com o negócio, é até inspiração para oferecer um produto ou serviço muito útil e de alta qualidade, ajustado ao que ele precisa e diferente do que a concorrência oferece .

Criando o perfil do seu comprador pessoal

É muito fácil definir uma pessoa Comprador, mas como faço para criá-la? Eu sei que você está pensando isso agora. Bem, agora vou explicar como criar esse perfil para que seu negócio esteja no caminho certo.

Você encontrará muitas formas de criar uma persona de Comprador, mas o importante é que você entenda o que está por trás de todas elas.

Um bom comprador é fruto da reflexão como empresa e do estudo do mercado; minha sugestão é que você não assuma nada do qual não tenha certeza, sempre confirme suas crenças.

Crie um perfil de comprador pessoal básico

Como tudo, comece sempre pelo mais básico, neste caso, coloque um nome, idade e sexo no seu Comprador pessoal.

Por exemplo, quero vender alarmes para casas, quem é meu comprador pessoal? Eu diria que é:

  • Nome: maria
  • Idade: anos 40
  • Gênero feminino
  • Estado civil: Casado

Você pode estar se perguntando por que Maria, de 40 anos? E, nesse caso, você percebeu que nome, sexo e idade não são suficientes para definir quem compra você, vamos continuar definindo mais.

Ocupação, localização e nível de renda

Quando falamos de compradores ideais, imagine-os com características específicas.

Por exemplo, considero Sara uma profissional e ela trabalha no escritório de segunda a sexta-feira. Sara também administra sua casa e sua renda é média.

  • Ocupação: profissional, trabalho de escritório (supervisor, gerente)
  • Localização: Barcelona, ​​Espanha
  • Nível de renda: médio-alto

Por que essas características? Simples, porque vendo alarmes residenciais e sei (ou investiguei) que os alarmes são um sistema que não pode ser pago por todos.

E isso também gera interesse nas pessoas que estão longe de casa por longos períodos; um sistema de alarme pode garantir muito mais segurança.

Penso na Maria, porque as mulheres tendem a se preocupar mais com a segurança do lar, com certeza Maria é mãe e esposa, e ela não quer que sua família fique em situação perigosa.

Escolhi Barcelona porque minha loja é lá, atendo em casa e não posso me mudar para outra cidade da Espanha.

Você percebe que não vendo alarmes para todo mundo, agora vendo para alguém que pode estar realmente interessado; essa é a pessoa que tenho que convencer, mas para isso, preciso definir ainda mais?

Mas antes que você se pergunte, o que importa onde eu moro? Às vezes, você pode usar a localização para apresentar um problema específico e sua solução, o que cria empatia.

Interesses, expectativas e hábitos de compra e consumo do meu comprador pessoal

Eu já te disse, você precisa criar empatia e, portanto, você precisa saber do que seu cliente gosta, eu diria que você deve ter em comum algum tópico para que a comunicação ocorra.

Nesse caso, pensei e investiguei, e concluí que Maria está interessada no meu produto porque ela é uma pessoa preocupada com a segurança.

Sei disso porque María visita Blogs de Segurança, compartilha informações sobre isso em suas redes e estava recebendo alarmes em uma loja online de um concorrente.

Maria provavelmente está pesando os prós e os contras da minha concorrência para ver se ela decide comprar ou não.

Obviamente, Maria costuma pesquisar produtos de segurança na Internet e está acostumada a fazer compras online.

  • Interesses: manter sua casa segura, criando um espaço onde ela e sua família estejam seguras. Novas tecnologias e tempo de qualidade com sua família.
  • Expectativas: Um sistema de segurança (alarmes) que seja eficaz para a sua casa, que tenha uma boa relação entre preço e qualidade, embora esteja disposto a pagar um pouco mais se necessário.
  • Onde você busca soluções: na internet, confira os blogs de segurança doméstica e as lojas virtuais que oferecem esses produtos, também confira e compartilhe informações nas redes sociais.

Analise o poder de compra

Este ponto quero esclarecer ainda mais porque você deve entender que seus produtos não são para todos.

Você deve definir quem você deseja vender. O motivo é assim você não perder tempo com outro mercado que não esteja interessado nos seus serviços.

Por exemplo, você está dando um produto de luxo e de alta qualidade.

Então você deve dirigir sua atenção para aqueles consumidores que estão dispostos a investir um pouco mais e não para aqueles que compram pelo mais barato que encontram.

Agora sim, já temos um perfil de comprador pessoal com o qual você pode começar a desenhar a estratégia de marketing. Eu dei a você o mais básico, se você quiser, pode expandir as informações tanto quanto achar necessário.

Mais de um comprador? Pense no que os une

Uma das principais desvantagens que as empresas encontram ao criar um Comprador pessoal é que percebem que existem perfis diferentes daqueles para os quais desejam vender.

Por exemplo, percebi que embora Maria seja uma boa compradora, Pedro, que tem uma empresa, também é uma pessoa a quem posso oferecer meus produtos.

Nesse caso, você pode criar vários perfis, mas no nível da estratégia, veja o que os une, neste caso, a necessidade de ter certeza.

Provavelmente, você deve lançar campanhas diferentes para cada grupo, por exemplo, destacando os benefícios dos meus alarmes para casa e empresas.

Na verdade, no nível da publicidade na Internet, você pode criar diferentes grupos de anúncios dependendo do público que deseja atacar, ou mesclar todos os seus objetivos e com base nas coisas que os unem.

Quem paga não é quem consome O que eu faço?

Esse é um problema muito comum, principalmente quando vendemos produtos infantis. Por exemplo, se você vende brinquedos, deve convencer a criança a dizer aos pais para comprá-los.

O produto deve ser bom tanto para a criança que vai brincar quanto para os pais que vão pagar por ele.

Você deve seduzir a criança com as possibilidades de diversão; pais com o valor pelo dinheiro.

Pessoalmente, acho que a definição é sempre feita pelo usuário final e não por quem compra, mas se for preciso deixar claro para quem paga, essa seria uma solução atraente para quem vai consumir o produto ou serviço.

Onde posso encontrar informações sobre meu mercado-alvo?

Quando estava definindo a pessoa do Comprador, presumi informações que me ajudaram no trabalho; Você deve procurar os dados que apóiam suas crenças, mas onde?

Se já tem uma empresa, com certeza tem dados sobre quem entra no seu site, ou nas suas redes sociais, que o ajudarão a definir a persona do Comprador.

Sem dúvida, você deve fazer uma pesquisa de mercado profunda. Muitas vezes, você terá que pesquisar esses clientes em potencial sobre o que eles esperam dos produtos que você vende para definir seu plano de ataque.

Por exemplo, você pode usar plataformas como o Quora, que nada mais é do que um sistema de pesquisa online que pode ajudá-lo a coletar informações sobre os gostos e preferências de seus clientes potenciais (as redes sociais também são úteis).

Uma estratégia que você pode usar é estudar os clientes. Estude quais clientes estão usando os produtos de seu concorrente. Crie uma lista desses compradores, pois isso o ajudará a definir o comprador ideal.

Na Internet, existem sistemas como Similar Web, Ahref e outros que ajudam a analisar a concorrência.

No entanto, se o vermos de um ponto de vista técnico, temos que identificar de onde vêm esses visitantes. Qual é o seu gênero, masculino ou feminino? Qual é o volume de tráfego, etc?

Em redes sociais como o Facebook, também há informações sobre o público, se você analisar, poderá determinar quem está mais interessado no que você está vendendo e pode planejar atrair muito mais compradores potenciais.

Eu tenho meu comprador pessoal, e agora?

Depois de definir seu comprador pessoal, use-o para o que mencionei anteriormente.

Você pode planejar uma publicidade com mais eficiência, pode criar uma página da Web que transmita melhor a mensagem que seus clientes em potencial esperam receber.

Você pode projetar o discurso que vai fazer para convencê-los (no nível do tom da mensagem), pode planejar estratégias de conteúdo para oferecer informações que sejam relevantes e que ajudem a convertê-los em clientes.

Acima de tudo, você pode analisar seus produtos e serviços para determinar em que medida eles atendem às expectativas do mercado e estudar a possibilidade de agregar valor de acordo com o que seus clientes desejam e não obtêm da concorrência.

Agora, você pode ver que há muitos detalhes a serem considerados junto com seu design e desenvolvimento da web.

Sobre o autor

em branco

Equipe editorial

Adicionar comentário

Clique aqui para publicar um comentário